Meu Perfil
BRASIL, AMAPA, MACAPA, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Livros, Música, escrever



Histórico


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     Associação Amapaense de Escritores - APES
     Paulo Tarso Barros no Twitter
     Paulo Tarso Barros - Facebook
     Diário do Amapá
     Governo do Amapá
     Supremo Tribunal Federal
     Portal do Governo Federal
     Academia Bras. de Literatura de Cordel
     Governo do Estado do Maranhão
     Senado Federal
     Câmara dos Deputados
     Vitória do Mearim
     Blog do escritor e poeta Pepê Mattos
     Fina Sintonia - João Lázaro
     Site da poetisa Laura Rodrigues
     Guia de Poesia
     Para Ler e Pensar
     Blog do Bolero - Notícias policiais do Amapá
     Blog do Edgar Rodrigues - História do Amapá dia a dia
     Blog do Edgar Rodrigues - Coisas do Amapá
     Blog da Hélida Pennafort - Fotos e reportagens sobre interior do Amapá
     Blog do João Lázaro - Porta-retrato - Fotos antigas e modernas do Amapá
     Blog do poeta e arte-educador Joy Edson
     Blog da jornalista e poeta Márcia Corrêa
     Blog do jornalista e escritor Ray Cunha
     Blog do jornalista e engenheiro Rodolfo Juarez
     Blog da contista Samila Lages
     União Brasileira de Escritores - UBE
     Academia Maranhense de Letras - AML
     Universidade Federal do Amapá - UNIFAP
     Ministério da Cultura - MINC
     O Rascunho - Jornal de Literatura
     Blocos Online - Jornal sobre literatura
     Livros do Amapá em formato PDF
     Jornal A Gazeta - Amapá
     Jornal do Dia - Amapá
     Jornal O Estado de São Paulo
     Portal G1 - Globo


     
    BLOG DO ESCRITOR PAULO TARSO BARROS


    O POEMA, APENAS, FAZ-SE...

     

    Faço um poema para mim.

    Aliás, todos os poemas que escrevi

    são meus:

     

    lamentos,

    sonhos,

    devaneios,

    amores,

    utopias...

     

    Eu queria fazer um poema

    para alguém:

     

    deste mundo,

    desta cidade,

    da minha rua,

    da minha casa,

    da minha vida.

     

    Eu queria, apenas,

    fazer um poema.

    Mas triste ilusão:

     

    o poema, apenas,

    faz-se...

     



    Escrito por Paulo Tarso Barros às 18h38
    [] [envie esta mensagem] []



    JOSÉ PASTANA VISITA A BIBLIOTECA ELCY LACERDA

    O escritor José Pastana esteve em visita à Biblioteca Pública Estadual Elcy Lacerda e me comunicou que está prestes a lançar mais uma coletânea de poemas intitulada Por um Grande Amor.

    O autor me entregou os originais do seu mais novo livro e solicitou que eu escrevesse um comentário sobre a obra. José Pastana é um dos mais ativos militantes literários de Macapá e já publicou três livros de poemas, além de participar da gravação de um CD poético em parceria com Sânzia Brito e Ricardo Pontes.

    Paulo Tarso e José Pastana

     



    Escrito por Paulo Tarso Barros às 18h21
    [] [envie esta mensagem] []



    SARAU DE POESIA DO PARQUE DO FORTE

    Paulo Tarso conversando com alguns alunos


    Sob o comando da professora e escritora Carla Nobre, que vem desenvolvendo projetos literários e promovendo recitais de poesia, alunos do curso de Língua Portuguesa da Universidade Vale do Acaraú - UVA, reuniram-se na noite de 23 de junho, no Parque do Forte (Macapá - AP) para declamar poemas e entrevistar os autores presentes.

    Carla Nobre, Ricardo Pontes, Vandério Pantoja, Paulo Tarso Barros e Fernando Canto (foto de baixo) falaram sobre suas experiências literárias.

    Nem a chuva, que caiu forte no início da noite,atrapalhou o evento, que ocorreu num dos mais belos pontos turísticos do Amapá, ao lado da Fortaleza de São José - uma fortificação portuguesa de 1782, que está totalmente preservada e revitalizada.



    Escrito por Paulo Tarso Barros às 18h12
    [] [envie esta mensagem] []



    A REVITALIZAÇÃO DO TEATRO DAS BACABEIRAS

     

    Carlos Lima, o Carlinhos - Gerente do Teatro das Bacabeiras

     

     

    Os artistas amapaenses vivem um momento de bastante efervescência cultural desde que iniciaram os debates sobre a implantação de uma lei de incentivo à cultura em nosso Estado. Embora não sejam perceptíveis os resultados práticos dessa legislação, pois ainda há um período de aprendizado e adaptações, sabe-se que a longo prazo poderemos dispor de excelentes produtos culturais.

    Por seu lado, o Governo oferece aos artistas a oportunidade de apresentar seus trabalhos num espaço amplo, confortável e localizado no coração da capital. O nosso Teatro das Bacabeiras, que foi inaugurado no dia 9 de março de 1990 pelo governador Annibal Barcellos e teve, entre seus diretores, a professora Zaide Soledade, Herbert Emanuel e Elaine Araújo, hoje tem na sua gerência o professor e, sobretudo, o artista Carlos Lima, o Carlinhos. Este vem realizando um trabalho vital para a cultura, que é dar visibilidade aos artistas e colocar o público em contato com as diversas manifestações. Para isso, tem revitalizado os amplos espaços do prédio dando nova extensão ao seu trabalho. As Salas da Palavra, da Imagem e do Som e a Sala de Dança recebem centenas de pessoas envolvidas nas mais distintas atividades culturais.  São oficinas de dança, balé, cursos, dança do ventre, exibição de filmes e reuniões de escritores.

    O retorno do Projeto Escadaria, realizado uma vez por mês na frente do Teatro, preferencialmente numa noite de lua cheia, recebe os artistas com tapete vermelho e muito respeito, reconhecendo os talentos e prestigiando as suas atividades. Há ainda o Projeto Seis e Meia, que ocorre no início da noite e tem como objetivo dar oportunidade ao artista local de revelar o seu talento, divulgar o seu trabalho e chamar a atenção do público para a importância da arte na vida de todos nós.

    Outro evento que vem despertando muito interesse do público que trabalha no centro comercial é o Projeto Meio Dia, que consiste na exibição de filmes sem cobrança de taxa. Os freqüentadores ficam à vontade, podem deitar-se sobre os colchões que são dispostos pelo salão.

    Os mais de trinta grupos de teatro existentes em Macapá contam com esse espaço privilegiado para que possam se exibir ao público. Com a reativação do Conselho de Pauta, constituído por dez membros, sendo que a metade é indicação dos segmentos artísticos, reúne-se toda sexta-feira para analisar e aprovar os inúmeros pedidos de pauta.

    Toda segunda-feira, o teatro não funciona, pois é o dia de manutenção. A gerência do teatro aproveita e oferece um café da manhã para os funcionários e convidados. No momento de confraternização todos ficam sabendo qual vai ser a programação da semana além de se discutir e resolver alguns problemas. Percebeu-se uma boa integração entre a equipe, formada de trinta pessoas, entre técnicos, administração e recepção.

    O arte-educador Carlos Lima, que há mais de uma década vem produzindo e apresentando a peça Seu Portuga e a Língua Portuguesa, inclusive fora do Amapá, é uma pessoa sensível e dinâmica, cujo trabalho vai ao encontro da aspiração dos artistas. Ele nos informou de que pretende viabilizar ainda a constituição de um corpo de balé permanente, além de utilizar os porões do teatro para a realização de oficinas de artes plásticas voltada ao público infantil que visitar o local.

    Seu trabalho merece os nossos aplausos quando o vemos sair em busca de apoio para materializar todos esses projetos e, dessa maneira, incentivar tanto os artistas como principalmente o público, que muitas vezes tem vontade de participar, mas não dispõe de recursos ou sequer toma conhecimento do que ocorre na principal casa de espetáculos de sua cidade.

     

     

    Paulo Tarso Barros é escritor e professor (paulo.tarso@uol.com.br)



    Escrito por Paulo Tarso Barros às 17h49
    [] [envie esta mensagem] []



    NA SALA DE JANARY NUNES

    Janary Nunes foi o primeiro governador nomeado para o Território Federal do Amapá, em 1943. Bom administrador e hábil político,  iniciou a construir a infra-estreutura do atual estado do Amapá. Seus arquivos pessoais e alguns livros, fotografias e documentos governamentais da época foram adquiridos pelo Governo do Amapá e estão  guardados na Biblioteca Pública Estadual Elcy Lacerda aguardando catalogação e tratamento.

    Na foto abaixo, estou sentado à sua mesa de trabalho.



    Escrito por Paulo Tarso Barros às 15h30
    [] [envie esta mensagem] []



    E-MAIL ERRADO!!!!!!!!!

     


    Um casal decide passar férias numa praia do Caribe, no mesmo hotel
    onde passaram a lua-de-mel há 20 anos. Por problemas no trabalho, a
    mulher não pôde viajar com o marido, deixando para ir uns dias
    depois. Quando o homem chegou no hotel e foi para o quarto, viu que
    havia um computador com acesso à internet. Então, decidiu enviar um
    e-mail a sua mulher, mas errou uma letra e sem se dar conta  enviou a
    outro endereço. O e-mail foi recebido por uma viúva que acabara de
    chegar do enterro do seu marido e que ao conferir seus e-mails
    desmaiou instantaneamente. O filho, ao entrar em casa, encontrou sua
    mãe desmaiada, perto do computador, em cuja tela podia se ler -
    Querida esposa, cheguei bem. Provavelmente se surpreenda em receber
    noticias minhas por e-mail, mas agora tem computador aqui e pode-se
    enviar mensagens às pessoas queridas. Acabo de chegar e já me
    certifiquei que está tudo preparado para você chegar na sexta que vem.
    Tenho muita vontade de te ver e espero que sua viagem seja tão
    tranqüila como está sendo a minha.
    - OBS: Não traga muita roupa, porque aqui faz um calor infernal!



    Escrito por Paulo Tarso Barros às 21h30
    [] [envie esta mensagem] []



    CARLA NOBRE LANÇA LIVRO DE POEMAS

     

     

     

     

    Carla e Paulo Tarso (hall do Teatro das Bacabeiras - Macapá - AP)


     

    A ASSOCIAÇÃO LITERÁRIA E TEATRAL ABEPORÁ DAS PALAVRAS

    Realiza o lançamento da obra poética

     

    SOBRE O ADEUS E O ENCELADO DE SATURNO

    (EDITORA SORTECCI-SP)

     

    DE

     

    CARLA NOBRE

     

    Data: 12/06/2007

    Hora: 18:00h

    Local: NO HALL DO TEATRO DAS BACABEIRAS

     

    “ Volto agora a tomar contato com Carla Nobre e leio os seus poemas reunidos em um livro que tem um título curioso. Encélado é o nome de uma das luas mais interiores de Saturno – planeta gelado que reflete quase toda a luz que recebe do Sol. Na mitologia grega, Encélado é o titã que junto com o irmão foi derrotado em batalha contra Zeus e a deusa Atena e enterrado sob o monte Etna – onde estão selados até hoje lançando sua fúria sobre a Terra.

    Esse é o referencial simbólico escolhido pela autora para compor os cerca de vinte poemas que figuram no livro e que têm o amor e a saudade como tema. Não são “poemas dolorosos” em que se faz a exumação de um passado morto. São mais uma revisitação do que uma rememoração da vida. Veja-se como exemplo o “Poema gelado”, onde se diz que os amores mortos criam moradas eternas no interior dos amantes e passam depois a habitar o mundo das palavras.

    São poemas marcados por um lirismo que não se esgota na esfera confessional, mas antes se espraiam por uma região que não possui uma geografia definida – habitam tanto o vasto território amazônico como o território caudaloso das palavras. Uma geografia bastante íntima e pessoal...”

     

    OVÍDIO POLI JUNIOR – PREFÁCIO DO LIVRO

    ESCRITOR E ORGANIZADOR DA OFFFLIP (PARATI-RJ)



    Escrito por Paulo Tarso Barros às 00h19
    [] [envie esta mensagem] []




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]